Narcolepsia

Sábado, 21 Maio 2016 11:14 Escrito por 
Avalie este item
(1 Votar)
A narcolepsia é uma condição neurológica caracterizada por episódios irresistíveis de sono. É um tipo de dissonia.
O sintoma mais expressivo é a sonolência diurna excessiva, que deixa o paciente em perigo durante a realização de tarefas comuns, como dirigir, operar certos tipos de máquinas e outras ações que exigem concentração. O problema faz com que a pessoa passe a apresentar dificuldades no trabalho, na escola e, até mesmo, em casa.
 
É comum portadores da narcolepsia passarem a vida inteira sem se darem conta que o seu quadro é motivado por uma doença, sendo tachados por todo esse tempo de preguiçosos e dorminhocos.
 
As manifestações da narcolepsia, principiando pela sonolência diurna excessiva começam geralmente na adolescência.
 
A narcolepsia é um distúrbio do sono que pode trazer conseqüências individuais, sociais e econômicas graves. De origem genética, a doença também pode estar associada a outros distúrbios do sono.
 
A síndrome narcoléptica consiste de cataplexia e outros fenômenos REM (sono com a presença de movimentos rápidos dos olhos), como paralisia do sono e alucinações hipnagógicas.
 
A cataplexia é a perda do tônus muscular reversível, usualmente deflagrada por emoção intensa, que ocorre durante o estado de vigília. Nas transições de vigília para o sono, o paciente com narcolepsia apresenta com freqüência paralisia do sono, que é a incapacidade de mover-se ou falar, além de alucinações visuais. A cataplexia, a paralisia do sono e as alucinações hipnagógicas são manifestações patológicas do sono REM.
 
Ler 1123 vezes Última modificação em Terça, 24 Maio 2016 17:44